Vniversale descrittione di tvtta la terra conoscivta fin qvi

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Retrato (mini-conto)

Ela mantinha seus breves momentos, em que, contida, rastejava o olhar pelo canto dos olhos, os quais eram azulados e magníficos, que logo caíam sobre a mesa. Bebia um pouco do chá, enquadrando numa doce moldura o silêncio inoportuno. Por um ínterim, pensei: a lembrança é a ideia que temos de um passado. Já o agora não constitui ideia alguma: aquilo não constituía ideia alguma, não naquele momento. As coisas só ganham sentido moral quando paramos para pensar sobre elas. Não era o caso: aqueles minutos não marcavam o tempo: me atingiam como um sentimento cristalino, sabendo que, sem adentrar em bifurcações perigosas de sua moral insegura, ela sentiria o que eu queria que sentisse.


Arthur Wilkens

http://portapoesia.blogspot.com/2010/10/retrato.html


obs: mudei o layout, espero que também tenham gostado.

domingo, 24 de outubro de 2010

Bichos fodas


Colocarei aqui breve descrições de animais curiosos e fotos.

1º. Ratel

-Ele é um dos animais mais destemidos

- O ratel ataca e mata basicamente qualquer coisa que se movimente: demora apenas 15 minutos para ele comer uma cobra de 1,50m.

- É inteligente e acha os pontos fracos do oponente rapidamente.

- Quando confronta outro macho da espécie, ele ataca os testículos.

- Nem animais astutos como leões e leopardos tentam atacá-lo.


2º. Cavalo-Marinho

- O cavalo marinho é um peixe;

- Possui cabeça alongada com filamentos que lembra crina de cavalo;

- Nada na vertical;

- Enfim, é true.


3º. Kiwi

- Típico da Austrália;

- É uma ave que choca seus ovos internamente, ficando ainda mais roliço;

- Tem a forma e a pelagem semelhantes a fruta de mesmo nome.



4º. Équidna

- Ele é um dos únicos mamíferos que põe ovos;

- Lembra bastante um porco-espinho, ainda que sejam estruturalmente diferentes;

- É encontrada na oceania.


(As fotos são de filhotes)


5º. Ornitorrinco

- Assim como o équidna, essas duas espécies compõem essa rara exceção aos animais mamíferos;

- Possui um bico com o qual caça seu alimento (peixes, camarões, etc);

- Ele possui glândulas mamárias, mas o leite escorre pelo seu peito (desprovido de seio) e portanto o filhote precisa lamber essa parte da mãe para alimentar-se.


6º. Água-viva Turritopsis Nutricula

Não é uma hipérbole, ela é realmente imortal.

- Ela é tão rara que nem nome comum tem, só dá pra chamar pelo nome científico.

- Ela faz Benjamin Button parecer um amador: após atingir a maturidade, essa água-viva regride a condição de pólipo. Esse ciclo acontece permanentemente.

- Apesar de ter apenas 5mm, são muito especiais para os cientistas que procuram nela o elixir da juventude.




Gabriel

Bumba meu boi


O Bumba Meu Boi é tido como uma das mais ricas representações do folclore brasileiro. Segundo os historiadores, essa manifestação popular surgiu através da união de elementos das culturas européia, africana e indígena, com maior ou menor influência de cada uma dessas culturas, nas diversas variações regionais do Bumba Meu Boi. Existem festas similares em Portugal (Boi de Canastra) e no Daomé (Burrinha).

O documento mais antigo de que se tem notícia a respeito do Bumba Meu Boi é datado de 1791, e foi escrito pelo Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama, num jornal de Recife.

A festa do Bumba Meu Boi constitui uma espécie de ópera popular. Basicamente, a história se desenvolve em torno de um rico fazendeiro que tem um boi muito bonito. Esse boi, que inclusive sabe dançar, é roubado por Pai Chico, trabalhador da fazenda, para satisfazer a sua mulher Catirina, que está grávida e sente desejo de comer a língua do boi. O fazendeiro manda os vaqueiros e os índios procurarem o boi. Quando o encontram, ele está doente, e os pajés são chamados para curá-lo. Depois de muitas tentativas, o boi finalmente é curado, e o fazendeiro, ao saber do motivo do roubo, perdoa Pai Chico e Catirina, encerrando a representação com uma grande festa.

O boi é a principal figura da representação. Ele é feito de uma estrutura de madeira em forma de touro, coberta por um tecido bordado ou pintado. Nessa estrutura, prende-se uma saia colorida, para esconder a pessoa que fica dentro, que é chamada de "miolo do boi". Às vezes, há também as burrinhas, feitas de maneira semelhante ao boi, porém menores, e que ficam penduradas por tiras, como suspensórios, nos ombros dos brincantes.

Todos os personagens são representados de maneira alegórica, com roupas muito coloridas e coreografias.

As brincadeiras de Bumba Meu Boi acontecem defronte à casa de quem convidou o grupo, e que patrocinará a festa. Embora surjam variações de uma região para outra, normalmente as apresentações seguem uma ordem. Primeiro, canta-se uma toada inicial, que serve para juntar e organizar o grupo, antes de ir para a casa. Em seguida, entoa-se o Lá Vai, uma canção para avisar ao dono da casa e a todos que o boi deu a partida. Depois disso, vem a Licença, em que o boi e o grupo se apresentam, entoando louvores a santos, a personalidades e a vários outros temas (natureza, personagens folclóricos, etc).

Começa, então, a história propriamente dita, e ao final da apresentação, o grupo e a platéia cantam juntos O Urro do Boi e a Toada de Despedida.

Em algumas regiões do Norte, o boi é morto simbolicamente . O vinho representa o seu sangue, e sua "carne" (o manto que envolve a armação de madeira) é repartida entre os espectadores e participantes da festa. Para a próxima festa, outro manto será feito.

A música é um elemento fundamental no Bumba Meu Boi. O canto normalmente é coletivo, acompanhado de matracas, pandeiros, tambores e zabumbas, embora se encontrem, em raros casos, instrumentos mais sofisticados, como trombones, clarinetas, etc.

No Norte e no Nordeste do Brasil ainda se encontram grupos organizados de Bumba Meu Boi, muitos deles formados por famílias que se esmeram em manter a tradição. As representações não têm época fixa para acontecer, e podem ser feitas para comemorar qualquer acontecimento marcante do lugar.



Nathália

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Crocodilo escapa e é considerado culpado de acidente aéreo







Um voo de rotina na República Democrática do Congo virou uma catástrofe após um crocodilo escapar da mala de um passageiro. De acordo com o único sobrevivente humano do acidente, os passageiros em pânico correram para o cockpit, e o piloto perdeu o controle do avião.


As primeiras informações do acidente especulavam que o avião tinha ficado sem combustível e “não conseguiu fazer um pouso ideal”, mas a aparente verdade é muito mais bizarra. Tudo indica que um dos passageiros do voo privado estava escondendo um crocodilo em sua mala, até que o animal escapou:



As aeromoças, assustadas, correram em direção ao cockpit e foram seguidas pelos passageiros. O avião ficou instável, apesar dos esforços desesperados do piloto.


20 pessoas morreram no acidente. O crocodilo sobreviveu, mas foi executado com um facão. [MSNBC]


Foto por Karen Givens/ShutterStock


Por: Arthur Raio


Fonte: www.gizmodo.com.br


quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Os Onbros Supórtam o Mundo

Chega um tenpo em que não se dis mais: meu Deus.
Tenpo de abssoluta depurassão.
Tenpo em que não se dis mais: meu amor.
Por que o amor rezultou inútil.
E os olhos não xoram.
E as mãos tessem apenas o rude trabalho.
E o corassão está seco.
Em vão mulheres baten a porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sonbra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada espéras de teus amigo.
Pouco inporta venha a velice, que é a velice?
Teus onbros suportam o mundo
e ele não peza mais que a mão de uma crianssa.
As guérras, as fomes, as discuções dentro dos edifícios
provan apenas que a vida prosegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, axando bárbaro o espetáculo
prefeririam (os delicados) morrer.
Xegou um tempo em que não adianta morrer.
Xegou um tempo em que a vida é uma orden.
A vida apenas, sem mistificassão.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Fragmentos Perdidos (Despedida)

Amigo de anos eu diria,

Sem que a amizade permanecesse pura

Pois o tempo imundo à suja

Suas idéias, agora tão distintas

Onde estará nossa velha alegria?


Sinto, me caro, em lhe dizer

Não és mais o mesmo

Como mim tampouco

Porém, por que tão rude e seco

É como me tratas e vês com sufoco?


Nunca sei quando lhe agrado

Quando sua face exprime verdadeiro gozo

Sua máscara, se faz discreta

E esconde o familiar rosto…

Outrora querido, por suposto


Surgirão com o tempo, muitos amigos

Mas peço-te para que não se enganes

Com certos plásticos e superficiais

Sejam eles quem tu ames

Não deixes te magoar por tais


A saudade se faz eterna

Os fragmentos de felicidade completam

A carta que sem coragem escrevera:

Te prezo muito, meu amigo.

Só espero que radiante lembres

Tudo o que já passaste comigo!



Gabriel

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Hora de Escrever

Hora de escrever. O corpo amortecido pela cadeira, a nuca então repousa sobre o encosto e ele fixa o olhar no teto. Um mosquito, dois, mais ao lado, um pequeno lustre, quatro lâmpadas, uma queimada; então são três. Fecha os olhos rapidamente e cai em escuridão. As três lâmpadas continuam lá, menos brilhantes, elas dançam sobre um colorido inexplicável. Não as quer ver, aperta os olhos, a escuridão não existe mais. São luzes, ele pensa, de onde vem? São pequenas luzinhas, como estrelas congeladas pelo universo, e ele abre os olhos. São quatro, quatro lâmpadas, mas uma está apagada. Agora ele descansa os braços estendidos que seguravam a caneta, os solta sobre a barriga, observa, cruza, arregaça a manga do pijama listrado. Alguma ideia há de vir, qualquer coisa que não seja o conto que ele nunca consegue por no papel. Qualquer coisa, ele pensa, segura a caneta e a aponta em direção a qualquer lugar: o relógio. Não, tenta mais uma vez: a garrafa de azeite. Péssimo, agora tem de dar certo: a janela. Ele olha, olha, e nada vê, mas sabe que deve haver alguma coisa. Ele se concentra, "vamos", a caneta. Hora de escrever.


Arthur Wilkens

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Chopin; Marcha Fúnebre em Pinturas Musicais

Assisti ao vídeo abaixo pela primeira vez na quinta-feira passada, no penúltimo encontro do curso Chopin em Capítulos do StudioClio, e hoje já faz parte dos meus favoritos. Esse trecho faz parte de um média-metragem no qual o diretor ilustra o terceiro movimento da sonata op. 35 de Chopin, sua famosa Marcha Fúnebre. Acompanhar o vídeo do início ao fim prestando atenção na música e nos detalhes nos faz filosofar um pouco sobre as etapas da vida de cada um, como é mostrado no cantabile entre as duas partes macabras; seria como se o tema principal simbolizasse a morte, e então temos a vida na parte central. Espero que gostem.

Arthur Wilkens


avisos importantes

saudando os contribuíntes e visitantes, por meio desse post vejo a necessidade de estabelecermos certas regras para a organização, primeiramente, estética do blog.

mudei o layout para o mais simples possível, e também diminuí o banner que a ju colocou, já que este ocupava metade da tela. seria interessante se todos que postassem tivessem o cuidado de escrever com um padrão de tamanho e estilo de fonte para a escrita padrão, podendo sim, destacar alguns trechos usando negrito, ou itálico. isso vai evitar que alguns posts chamem mais atenção do que os outros e vai dar um aspecto mais formal ao blog, o que vai incentivar a leitura e a postagem, no meu ponto de vista.

a minha dica é que quando forem colar um texto que não foi escrito diretamente no blogger, que tomem o cuidado de transcrevê-lo para o nosso tamanho padrão de fonte, e não esqueçam de indicar de onde o texto veio, com um link ao final do post.

outra coisa: identifiquem-se sempre nos comentários, e tome cuidado pro seu irmão mais novo não foder com o blog.

e vamos usar as amadas tags!


Arthur Wilkens

oi galera

mudei o layout, espero que tenham gostado.
juliane

esse layout tá uma merda

esse layout tá uma merda

domingo, 17 de outubro de 2010

Dilma quer acabar com os colégios militares

Tudo que presta, que contribui para o desenvolvimento do País, precisa ser destruído para que a mediocridade possa continuar a governar o Brasil.
 Agora, é necessário acabar com os COLÉGIOS MILITARES. São doze e, tradicionalmente, os melhores do Ensino Médio no Brasil.
Estão reclamando porque lá se ensina a verdadeira história da Pátria.
Lá não se enaltecem os gatunos dos mensalões e os destruidores do País.
Lá não se ensina a mentir como se mente no blog da candidata a presidente e mente a própria candidata que falsificou até o seu curriculum vitae.
Nos Colégios Militares, ensina-se a vitória dos GUARARAPES, resultado da União das raças (preto - branco e índio) que derrotaram o melhor exército do mundo, na época.
Lá se ensina que foram os paraguaios que invadiram o Brasil, apossando-se de URUGUAIANA, FORTE COIMBRA E CORUMBÁ e não a mentira implantada e contada pelo comunista e historiador argentino León Pomer, que publicou que o "Brasil matou 95% da população masculina do Paraguai" e por aí vai e a versão brasileira é de Júlio José Chivenato que nos apresenta como submissos à política externa Inglesa e outros "bichos".
Quem quiser saber a verdade que compre o livro GUIA POLITICAMENTE INCORRETO DA HISTÓRIA DO BRASIL DE LEANDRO NARLOCH.
Neste livro vamos encontrar a versão correta do problema indígena, quando o Ministério da Educação, que deseduca, fala em genocídio contra os índios e outras safadezas criadas pela mediocridade esquerdista e ladra brasileira.
A raiva contra o IME, o ITA, as Academias Militares e os Colégios Militares é que são escolas de Excelência.
Os alunos destes estabelecimentos de Ensino são, competentes, disputados no mercado de trabalho pelas seguintes razões: são responsáveis, são preparados, são disciplinados, são cumpridores do dever, aprenderam que ser honesto é uma obrigação do cidadão, são leais aos seus superiores e sabem comandar e obedecer.

Nos COLÉGIOS MILITARES, há a seleção pelo mérito e não pela lei do GERSON.
Lá se desenvolve o caráter do jovem, ensinando os valores que dignificam o homem.
Como é necessário e urgente destruir os valores da formação moral da Nação Brasileira é preciso que sejam os mesmos destruídos para que continuem a dominar a safadeza, a falta de caráter, o roubo, o assassinato, a mentira, a desonestidade, a canalhice, a sem-vergonhice, o domínio dos sacripantas, velhacos e outros termos ditos pelos que foram traídos agora e estão mostrando a desgraça para onde marcha o Brasil.
Os Colégios Militares formam a elite pensante brasileira.
Nenhum dos mensaleiros, cuequeiros, terroristas, transportadores de dólares, malas, matadores profissionais (Santo André) etc. cursaram algum Colégio Militar.
Eles estudaram na escola do crime.
Aconselhamos aos detratores que estudem e leiam Nabuco, Taunay, Calógeras, Rocha Pombo, a coleção Brasiliana, Fragoso, Lira Tavares e não procurem fugir do debate, indo para os EUA ou Europa com medo da falta total de Cultura.
VAMOS REPASSAR PARA INFORMAR!

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

As duas faces de Dilma Rousseff!

video
O vídeo fala por si mesmo...

pense um pouco nisso.

não devemos acreditar em tudo que falam... principalmente se quem fala é o PT ou um Petista...

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Política em questão

//Outro texto do meu blog, só pra dar um ar político pro rand, hehe



O processo eleitoral no Brasil é considerado por muitos "uma piada". Em um país possuidor de uma história cívica tão turbulenta - desde a criação do modelo republicano até a repressão na ditadura - era de se esperar que todos vissem o assunto com mais interesse. Um dos motivos para tal descaso é a ignorância de boa parte do povo, assim como escândalos promovidos pela corrupção, formando um conceito generalizado acerca da figura política.

Em uma pátria onde o presidente sequer possui ensino fundamental completo, têm-se o reflexo da faceta populista reinante, onde bastando que o candidato possua carisma o suficiente, ou seja, a imagem projetada do país, é necessário para governar a nação. Isto ainda seria pouco para criar descontentamento com o cenário político, pois, não obstante, vê-se verdadeiros palhaços, que sequer sabem qual função desempenha o cargo concorrido, subindo ao poder.

A poluição, tanto sonora quanto ambiental, chega a ser risível: músicas que ficam o dia todo sendo reprisadas por carros de som, atrapalhando a concentração de todos, e os famosos "santinhos", que se não distribuídos são jogados aos montes nas ruas, completam um panorama deplorável.

Visto que o tema político e o estudo em si é dominado com maestria por uma minoria mísera, a ignorância do povo com o processo eleitoral e até mesmo o que se pode fazer para mudar as mazelas que deturpam o sistema é apenas o acarretamento disto. Não há nação mais fácil de se controlar e ser agradada que a da política do "pão e circo", construída sobre toda estupidez e inércia de mudanças.

O que deve ser feito é forçar o debate político dentro das escolas, já que outra forma de alienar os jovens é com a desculpa da imparcialidade do professor. Ou ainda criar uma disciplina que estude a fundo todo o processo. Por fim, apenas instigando o conhecimento pelo nosso sistema é que será possível criar uma nação mais sólida e inteligente, e que desperte da aparente letargia para com a corrupção vista desde então.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

A vida nos venceu.

Sinto agora o quanto minha mente arde ao tentar atropelar todas as nossas coisas de uma vez só, enquanto percebo em ti nestes últimos dias, que de fato são os nossos últimos, a fria indiferença que por tua parte nunca existiu. No telefone já nem reconheço a pessoa com quem dividia a minha vida há alguns meses; cara a cara, intensamente ainda sinto a tua assistência, o teu corpo, o cheiro nas tuas roupas e..., é tudo idêntico à antes, intacto, como eu sempre fui acostumado a ter. Eu espero ter um tempo pra ti esquecer. E enquanto escrevo, sinto como se uma nuvem que aperta o meu peito voasse vagarosamente para fora... não tão longe, logo ali perto, aonde sei que a reencontro quando o vazio me consome outra vez. Eu sei que nenhuma palavra minha vai fazer juz ao que hoje perambula aí por dentro. Percebes agora que tudo acabou? A partir de agora eu encaro, velha amiga, vou engolindo até que o prato se acabe. A vida nos venceu.




Arthur Wilkens

Felicidade

Cá estou eu. Cansado. Mas ainda sim, feliz.
Qual o motivo maior de ser feliz se não pela alegria em si?

É um estado quase de êxtase, onde nos sentimos mais confiantes e bem com o outrem...

Ainda que seja uma coisa boa, é como um músculo, onde se não exercitado, atrofia-se. É muito importante exercer a felicidade em um tempo que, ao mesmo tempo que estamos tão perto uns dos outros, nossos corações se sentem quilômetros e quilômetros distanciados. O descaso entre seres que deviam todos se amar, compreender e abraçar as diferenças, só mostra o quanto o darwinismo tem se equivocado... Podemos ter nossos corpos cada vez mais adaptados ao entorno, mas e o que dizer da alma? Não creio que o homem, tendo o poder de saber que sabe, está no topo da cadeia evolutiva, pois mais me parece que é um animal irracional como todos os outros... Volto a dizer, a felicidade é primazia, quando um indivíduo se encontra feliz, é como se ele irradia-se tal estado para todos, criando um tipo de reação em cadeia.

Mas assim como a felicidade, o ódio, e toda a gama de sentimentos ruins servem para o mesmo; quantas vezes não nos sentimos mal quando alguém se encontra infeliz? Ou ainda, irados quando uma pessoa nos atende *seja de que trabalho for* com desprezo ou desacaso? E fatalmente, tais sentimentos são nutridos por nós mesmos, deixando o dia um pouco mais pior. E aqueles que, vêem na vida motivo para estar constamente infelizes? Os chamados "depressivos"? Que se encontram viciados em tal sentimento (pois sim! O corpo vicia nessas substâncias liberadas muito seguidamente, como pessoas que querem sempre viver a vida de uma forma radical *adrenalina*) e aí que se cria aquele desespero e paradigma de que é impossível sair deste ciclo..

Para levarmos uma vida alegre, não é preciso muito, é só começar pelos pequenos atos, como ouvindo uma música que deixe seu astral lá em cima ou que relaxe ao ponto de ficar bem com você mesmo. As atitudes seguintes para com as outras pessoas também são importantes, quando por exemplo se começa uma briga, tentar não dar bola e ao invés de partir para uma atitude mecânica, seguir em frente; ajudar os outros quando eles precisam com entusiasmo; e até mesmo tentar fazer feliz aquele que se encontra mal! Com essas pequenas coisas, verás que é bom sentir-se bem, e, sempre que puder, levantarás o ânimo lá para cima.

E assim, cá estou eu, cansado, mas fazendo uma das coisas que me deixa mais feliz, e tentando ao mesmo tempo, mostrar a quem quiser, que felicidade não é um estado de Ser tão difícil de se alcançar.


Gabriel


Post original: sujeitoaminhaexistencia.blogspot.com

sábado, 2 de outubro de 2010

northeast strawberry Karametade

Estava tão tristonho quando ela apareceu
Teus olhos, que fascínio, logo estremeceu
Os meus amigos dizem que eu sou demais
Mas é somente ela que me satisfaz
É somente ela que me satisfaz
É somente ela que me satisfaz
Você só colheu o que você plantou
Por isso eles falam que eu sou sonhador
Me diz o que ela significa pra mim
Se ela é um morango aqui do Nordeste
Tú sabes não existe sou cabra da peste
Apesar de colher as batatas da terra
Com essa mulher eu vou até pra guerra
Ai é amor
Ai Ai Ai é amor
É amor
Ai é amor
Ai Ai Ai é amor
É amor
E é somente ela que me satisfaz
é somente ela que me satisfaz
Você só colheu o que você plantou
Por isso eles falam que eu sou sonhador
Me diz o que ela significa pra mim
Se ela é um morango aqui do Nordeste
Tú sabes não existe sou cabra da peste
Apesar de colher as batatas da terra
Com essa mulher eu vou até pra guerra
Ai é amor
Ai Ai Ai é amor
É amor
Me diz o que ela significa pra mim
Se ela é um morango aqui do Nordeste
Tú sabes não existe sou cabra da peste
Apesar de colher as batatas da terra
Com essa mulher eu vou até pra guerra
Ai é amor
Ai Ai Ai é amor
É amor